A Vaga de garagem já rende mais que o próprio imóvel

Os veículos se multiplicam, as cidades pecam pela falta do planejamento urbano e está cada dia mais difícil encontrar uma vaga para estacionar o carro. Isto é tão real que nesse mercado imobiliário, a rentabilidade de quem aluga uma vaga pode ser até o dobro de quem apostou em um apartamento como fonte de renda.

Em mercados como o de Belém, é difícil hoje encontrar uma vaga, nas construções mais novas, que custe menos de R$ 25.000. Esse valor pode subir até 50% depois do edifício entregue e houver uma disputa entre os moradores por aquela vaga extra. Isto porque além da faltarem vagas públicas de estacionamento, parar na rua é um convite aos assaltos que infernizam a vida do cidadão.

garagem

A garagem tornou-se em 10 anos, um bem mais valioso que o próprio imóvel. Lembra daquela vaga de R$ 25 mil que falamos, ela é facilmente alugada por R$ 300.00/ R$ 350.00 por mês. Matematicamente , o retorno do investimento beira o 1,5% sobre o valor empregado, enquanto o apartamento residencial dificilmente vai alcançar 7%

E a tendência para os próximos anos indica que a situação vai se agravar. Para manter a economia aquecida e garantir o nível de emprego, o governo vem incentivando e cortando impostos da indústria automobilística, o que faz as vendas de automóveis baterem recordes sucessivos. Com carro demais nas ruas, o apartamento com uma só garagem esta virando quase um mico de mercado. Um luxo que virou necessidade.

Saindo do campo residencial, a garagem virou a mais promissora queridinha do mercado. Antigos imóveis estão sendo demolidos porque a renda do aluguel ficou muito inferior ao uso do espaço para guardar os veículos. Quem já tinha o terreno percebeu nessa carência , um ótimo negócio. Um atividade que atraiu grandes grupos para o setor.

A garagem administrada profissionalmente, com custos mais altos, acabou por agravar a explosão de preços que já vinha forte. Recentemente, um shopping da capital aumentou em 50% de uma só vez o preço da hora. Alguns reclamaram, muitos aceitaram em nome da segurança e da comodidade. Estacionamentos já cobram R$ 5 reais de permanência mínima. De repente, está ficando mais caro estacionar do que ir de Taxi.

O próximo passo devem ser os edifícios garagens. Um deles foi anunciado para o velho centro comercial de Belém, aproveitando a estrutura da antiga Lobrás na João Alfredo. Outros devem surgir, porque com mais clientes do que vagas, a tendência é alta.