Dica: Nove caminhos para encontrar seu imóvel ideal

Esqueça aquela ideia de que o imóvel ideal vai cair do céu, ou vai bater na sua porta. Ele nem sempre vai custar o que você esta disposto a investir, nem vai estar localizado onde você sonhava morar. Deve ter sim, um conjunto de fatores que permitam que ele atenda muito daquilo que você busca. A má notícia é que o “ ideal” não existe. Ou ele tem preço, ou tem localização, ou tem melhor espaço interno, ou um clube com várias opções de lazer, ou alguns desses itens, mas não todos. Por isso, eu preparei alguma dicas para ajudar você nesta tarefa árdua, que nem por isso precisa deixar se se prazerosa. Leia atentamente os pontos a seguir. Se ainda tiver dúvida, mande um email .

dicas para compra

  1. Quanto dinheiro você tem para realizar o sonho da casa própria? . O primeiro passo é definir “quanto”. Isso porque não adianta bater perna, perder tempo e correr o risco de se apaixonar por um apartamento ou uma casa e só depois perceber que está fora do seu orçamento. Os bancos oferecem simuladores imobiliários fáceis de serem usados. Veja sua renda, simule um valor de imóvel e você terá uma ideia de quanto precisará de dinheiro para o sinal e de quanto serão as prestações. Mas atenção , não tente se enganar. Se você ganha R$ 10 mil, mas já tem comprometido metade dessa renda, pode ter dificuldades para apagar a prestação indicada.
  2. Novo ou usado? Casa ou Apartamento?. Em outro momento, aqui no Blog, teremos chance de dar mais informações sobre como tomar a melhor decisão. Agora, você precisa saber se quer casa ( mais espaço, mas com maior risco de segurança) ou apartamento ( com regras mas com melhor localização). Se vai investir em um imóvel em construção ( Sinal menor, melhor párea de condomínio, mas tendo que esperar ele ficar pronto ) ou pronto ( exige maior valor de entrada, mas normalmente são maiores e tem uso imediato ). É fundamental saber o que procura para ir a busca dele.
  3. Estude a fundo seu novo bairro. Não basta o imóvel. Você precisa saber se a região da cidade tem boa infra estrutura. Bom comércio e serviços, fácil acesso de transportes. Se a vizinhança é segura e os moradores estão satisfeitos de viver por lá. Lembre-se que essa é uma conta de longo prazo. Se você errar na localização, vai ter de conviver com isso por muito tempo.
  4. Distância do Trabalho e Escola. O trânsito é um dos mais sérios problemas urbanos . É bom calcular o tempo e o dinheiro gasto com transporte entre o trabalho e a escola dos filhos para casa. Esse é um custo fixo. Se for caro demais ou se atrapalhar muito a rotina, vai ver sua conta mensal aumentar.
  5. Avalie bem o imóvel depois de encontra-lo. Fita métrica e um bloquinho na mão. Registre as dimensões de cada cômodo do imóvel. É preciso saber se seus móveis vão se encaixar na nova casa. Anote, tire fotos ou filme também os pontos fortes e fracos do imóvel para compara-lo com outros que você tenha visto. Para quem tem Smartfones, alguns aplicativos, como Magic Plan podem ajudar na tarefa. Com ele, você tira fotos do lugar que deseja medir e o software faz o cálculo das medidas dos ambientes automaticamente, formando uma planta do imóvel. Não se impressione com a decoração dos apartamentos modelos ou pelo eventual gosto duvidoso do antigo proprietário. Veja se o imóvel atende suas necessidades e nos mais antigos, peça ajuda para um engenheiro, se duvidar do estado da construção.
  6. Será que o imóvel será adequado a você daqui a alguns anos? Lembre-se que a compra de um imóvel envolve custos. Fazendo a escolha certa, você evita mais gastos e a dor de cabeça de começar tudo de novo. Como é compra de longo prazo, um casal novo não pode comprar sem pensar que breve terá necessidade de mais espaço para os filhos, por exemplo.
  7. A Documentação e a Construtora. A parte mais chata, é uma das mais importantes da compra. Se não ficar atento agora, você poderá arcar com alguns ônus e até mesmo perder o imóvel. Identifique se o vendedor é realmente o proprietário do imóvel. A certidão do Cartório de Registro de Imóveis vale por 30 dias. Além disso, é preciso certidões que comprovem não existir a penhora, ou ações judiciais dos proprietários. Seu corretor de confiança ou um Cartório de Notas pode ajuda-lo na tarefa. Olho tamém com dívidas como IPTU, condomínio, água. Se o imóvel está em construção, busque informações sobre a construtora nos cartórios, no Procon ( sobre reclamações) e mesmo com clientes atendidos para saber se estão satisfeitos com o negócio.
  8. Não enrole na hora de comprar. Você chegou até este ponto e se vacilar, corre o risco de perder o imóvel que você tanto procurou. Tem gente que deixa pra fechar o negócio depois, enquanto busca outras oportunidades e, quando volta atrás, outro já comprou. Lembre-se que boas oportunidades não demoram muito a serem vendidas.
  9. Use corretamente seu corretor de imóvel. Não trate o corretor com desconfiança. Lembre-se que o bom desempenho dele de acordo com suas necessidades vai ser fundamental na satisfação. Por isso, faça dele um amigo e deixe claro que você não é um comprador comum. Estabeleça suas prioridades e suas condições. O corretor que percebe que você está realmente interessado, busca com mais afinco o imóvel ideal, e pode, por exemplo, trabalhar uma proposta menor.

Quem saber mais. Mande sua dúvida pelo formulário do blog