A hora da pechincha: tá sobrando imóvel; aprenda a aproveitar este cenário

Unnamed

Prepare-se para a hora da pechincha e das vantagens. A maré virou e rápido, ou seja, se antes você fazia fila para comprar um imóvel novo na porta dos muitos estandes de vendas que se espalhavam pela cidade, agora são as construtoras que estão correndo atrás de você. É a hora de fazer charminho e esperar por quem oferece mais.

Depois de um 2014 ruim, quando faltou disposição, dinheiro e confiança do consumidor para investir no setor, 2015 chega com cautela e com um clima de mais cautela. Isso quer dizer que o comprador até vai buscar a casa própria ou o imóvel de investimento, mas vai pensar mais, planejar mais e gastar menos.

Dentro desta realidade, o primeiro semestre de 2015 deve ser marcado pelos tradicionais ‘Saldões’ ou ‘Feirões’, de maneira muito mais agressiva que até o ano passado. Nesta estratégia de fazer a diferença, os descontos serão maiores, você pode ganhar meses do condomínio grátis ou mesmo ganhar o apartamento mobiliado.

Em cidades como São Paulo, o estoque imobiliário que era de 19,7 mil unidades, em dezembro de 2013, foi para 27 mil no fim de 2014, segundo dados do Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP). Em Belém, como não existe qualquer levantamento sobre o assunto e cada um conta sua própria história, verdadeira ou não, os números, proporcionalmente ao mercado, podem ser tão ou mais graves que a média. Isso é tão verdade que a maioria das construtoras por aqui seguraram novos lançamentos. O que existe pra vender foi lançado há pelo menos 4 anos.

As promoções e a briga pelo consumidor devem começar nas próximas semanas.

Cuidados

Por outro lado, esqueça aquela ideia de comprar apenas porque as vantagens parecem irresistíveis. Não é só o preço que faz a diferença. Busque saber sobre o a construtora. Se cumpre prazo, se o acabamento é bom, se mantém um bom relacionamento com o cliente. Outro cuidado é com a vizinhança. O barato em um lugar perigoso, sem supermercado, escolas, postos de saúde acaba saindo muito caro.

O preço também é uma armadilha. Calcule sempre o preço pelo metro quadrado e nunca pelo total. Isso ajuda a entender que um apartamento baratinho pode ser minúsculo, ou seja, é um apartamento caro e fora de mercado se você for pensar em metro quadrado.

Por último, cuidado com o contrato e condições de pagamento. Pagar uma parcela pequena agora e deixar 80%, 90% para o financiamento é uma armadilha que pode atrapalhar seus planos. Toda dívida não paga é corrigida mensalmente. O que é barato agora pode ser caro quando você for financiar.

O melhor mesmo é buscar apoio em profissionais de sua confiança, que pensem no longo prazo e que estejam realmente compromissados com sua satisfação. Um erro agora pode significar uma baita dor de cabeça já no médio prazo.

Salomão Mendes é especialista do Mercado Imobiliário e CEO da Unimovel

salomao@unimovel.net