Como locador e locatário podem ter uma boa convivência no aluguel

casa_aluguel

A relação deveria ser de um amor sereno, mas se não cuidada pode se transformar em ódio que vai trazer sérias consequências para as duas partes. Locador e Locatário precisam um do outro, mas por má fé ou descuido, acabam esquecendo disso. Para superar esta ameaça, alguns cuidados ajudam e eu enumerei eles para que você tenha um passo a passo nessa relação.

Começo pelo ponto de vista do Locador, que por medo de uma eventual inadimplência acaba deixando o imóvel fechado muito tempo.

Primeiro, pesquise com cuidado seu candidato a inquilino. Nessa lista é fundamental saber se ele tem renda para pagar o valor do aluguel. O mercado trabalha como base, que esse valor tem de ser, no máximo 30% dos vencimentos brutos da família. Vale contra cheque, imposto de renda e eventualmente um extrato bancário, no caso dos autônomos.

Depois, é prudente checar o locador anterior. Perguntas como : Porque saiu do outro imóvel? Como foi essa convivência? etc ajudam a estabelecer parâmetro.

Outro ítem importante é a garantia do aluguel. A lei brasileira permite, inclusive, aluguel sem fiador, mas acaba fragilizando o locador em caso de inadimplência. O Fiador idôneo com renda é o melhor caminho. A caução também pode ser usada, desde que você lembre que ela, a caução, não é adiantamento de aluguel. Ou seja. O valor vai ficar depositado em uma poupança até o final, para ser devolvido, caso tudo esteja de acordo no final do contrato.

Por último, vale um Serasa para identificar o comportamento de seu futuro cliente. Dívidas pequenas e eventuais podem até ser toleradas, desde que você concorde. Um comportamento devedor com várias ocorrência é um mal sinal.

Mas e do lado do locatário? Primeiro é bom saber se quem aluga é realmente o dono do imóvel, o que pode se ter com um documento de propriedade. Isso vai evitar que você seja surpreendido com outro dono cobrando um aluguel que você possa estar pagando para a pessoa errada. Pouca gente cobra isso.

Olhe com cuidado o imóvel. Se ele tem vícios como infiltrações, problemas elétricos, rachaduras, cobre o conserto logo que você comece a usar. Isso é importante porque depois, uma torneira que já estava quebrada, pode ser tida como problema de seu uso, transferindo essa conta.
Bom também sentir o comportamento do seu locador. Se for uma pessoa difícil de tratar, avalie bem os prós e contras dessa relação que ainda nem começou.

Para as duas partes, vale um contrato bem feito. O mercado está cheio de acordos simples demais que dão margens para várias intepretações. Lembre-se que no início, tudo são flores, mas para que esse jardim continue colorido é fundamental que direitos e deveres, incluindo penalidades para o não cumprimento estejam claros. Sempre que possível, use sua imobiliária de confiança para isso. Se tratado de maneira profissional, as chances de que tudo ocorra como o previsto são muito maiores. Se você tem dúvidas, mande sua questão para salomaom@hotmail.com, que ela será respondida pelo Blog. Até a próxima.